Pistolas de pregos são uma ótima maneira de realizar uma tarefa, bem melhores que martelos quando há a necessidade de completar projetos dentro do prazo. Mesmo assim, as pistolas podem ser armas perigosas. Devido à aceleração dos pregos a uma velocidade de até 45 metros por segundo, apenas um pequeno deslize ou um leve mal funcionamento separa um trabalho bem feito de uma deficiência permanente.

Erros humanos são uma parte importante em muitos acidentes com pistolas de pregos, e este guia o ajudará a identificar as práticas mais comuns que resultam em ferimentos ao utilizar esse tipo de pistola. Mas ao investigar os números e verificar uma gama maior de acidentes com pistolas, fica claro que muitos ferimentos poderiam ter sido evitados facilmente.

Qual é o obstáculo para a segurança? Em uma palavra: negligência, que ocorre quando fabricantes de pistolas e outros trabalhadores não cumprem sua parte do acordo.

O que causa acidentes com pistolas de pregos?

Todo ano, quase 37.000 pessoas são levadas aos prontos socorros com ferimentos causados por pistolas de pregos; 68% delas são profissionais do setor de construção civil. A seguir, explicamos como eles acontecem e o que podemos fazer para reduzir os riscos:

Disparo involuntário

A maioria dos acidentes com pistolas de pregos é causada por um mesmo fator: o disparo involuntário. É um problema sério em locais de trabalho espalhados pelo país e uma fonte considerável de risco.

Analisando especificamente os acidentes com trabalhadores da construção civil, um time de pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte (UNC), em Chapel Hill, descobriu que o disparo indesejado foi citado em 68,6% dos acidentes com pistolas de pregos. Muitos acadêmicos concluíram que os resultados significam algo muito claro: as pistolas ainda não são seguras o suficiente.

Por sua vez, os pesquisadores têm apresentado soluções importantes há anos, incluindo o completo banimento das pistolas tradicionais mais perigosas, com disparo acionado por contato (nos EUA, contact trip triggers). Até agora, regulamentações federais que protegeriam carpinteiros e consumidores têm tido pouco apoio do Congresso. A pressão exercida por lobistas da indústria e por muitas empreiteiras dificulta os esforços dos defensores por maior segurança ao trabalhador. No curto prazo, cabe apenas aos trabalhadores e consumidores aprenderem a utilizar as ferramentas e a adotar procedimentos de segurança adequados durante o uso das pistolas.

Mas nenhum disparo involuntário ou acidental é igual. Na verdade, existem diversas razões que podem causar o disparo de uma pistola quando você não espera que isso aconteça.

  1. “Batida” involuntária

A maioria das pistolas atuais possui dois gatilhos separados, e você precisa pressionar ambos para que a pistola dispare. Disparos sequenciais obrigam que você empurre esses gatilhos em determinada ordem, eliminando, na prática, a possibilidade de disparo involuntário. Mas as pistolas tradicionais, como mencionamos antes, não possuem esses dois gatilhos. Você pode segurar o gatilho manual de forma contínua e “bater” a ponta da pistola várias vezes, disparando um prego a cada batida. Para uma descrição mais detalhada das pistolas tradicionais, clique aqui.

Apesar de esse mecanismo aumentar a produtividade do trabalhador, ele não ajuda a melhorar a segurança. O estudo da UNC descobriu que 20% de todos os acidentes com pistolas de pregos foram causados pelo contato acidental do gatilho na ponta. Alguns desses acidentes podem ser explicados unicamente pela falta de atenção. Os trabalhadores andam de forma rotineira com os dedos no gatilho mesmo quando não estão utilizando a pistola. Basta bater em qualquer objeto, incluindo o corpo de um colega de trabalho, e a pistola pode disparar de forma acidental. Entretanto, isso não é tão comum quanto você poderia pensar.

Um número assombroso de 19% dos acidentes com contato involuntário ocorreu durante outro tipo de acidente: quando o trabalhador escorrega e cai. Com o dedo no gatilho, os trabalhadores podem bater a ponta de contato em uma superfície ou nos seus próprios corpos ao caírem no chão. Os pregos voam pelo ar ou diretamente no corpo de alguém e causam ferimentos graves.

  1. Disparo duplo: o perigo do coice

Com todo esse poder acumulado, é compreensível que ocorra um forte coice após cada disparo da pistola. Infelizmente, nós temos a tendência de compensar o coice, empurrando a pistola de volta à superfície. Se empurramos forte demais, a ponta de segurança pode entrar em contato com a superfície novamente, disparando outro prego. Mas como não estamos esperando esse segundo prego, ele raramente vai parar no lugar onde gostaríamos.

Em mais de 20% dos ferimentos com pistolas de pregos, o disparo duplo é provavelmente a principal causa. Mas o problema está, em grande parte, limitado às pistolas tradicionais. Engenheiros mecânicos descobriram que o ciclo de uma pistola é, literalmente, rápido demais, superior ao tempo de reação humana. Quando ocorre um coice, não há tempo para remover o dedo do gatilho e evitar um disparo duplo. Esses resultados levaram muitos acadêmicos a concluir que as pistolas tradicionais, que não possuem mecanismos integrados para eliminar disparos acidentais, são por natureza mais perigosos do que precisam ser. Eles dizem que esses acidentes são resultado de um projeto ruim e potencialmente negligente.

  1. Desativação do mecanismo de segurança

O Departamento de Saúde e Segurança no Trabalho (OSHA, do inglês, Occupational Safety & Health Administration), “proíbe terminantemente” a adulteração de quaisquer mecanismos de segurança das pistolas de pregos, o que inclui remover a mola da ponta de contato da pistola ou prender o gatilho manual. Essas práticas aumentam de forma drástica o risco de disparo involuntário.

Não há nenhuma boa razão para desativar os mecanismos e segurança, e fazer isso é crime.

  1. Defeitos das pistolas de pregos: negligência do fabricante?

As últimas três causas mencionadas de ferimentos causados por pistolas envolviam erros humanos. Alguns eram inocentes, enquanto outros nem tanto; mas, em muitos casos, a culpa não é do usuário, mas sim da própria pistola.

Produtos com defeitos são sempre preocupantes, ainda mais quando eles já são, por natureza, ferramentas perigosas. Recentemente, o grande conglomerado japonês Hitachi fez um recall de cerca de 25.000 pistolas pneumáticas “devido a riscos de ferimentos”. Os modelos NR83A2(Y) e NR83A3 foram afetados. De acordo com o site oficial da Hitachi Power Tools, as pistolas “podem emperrar e anular o mecanismo de segurança que permite que apenas um prego seja disparado de cada vez, o que representa um risco de ferimento”.

Por enquanto, nenhum ferimento em relação a esse perigoso erro da Hitachi foi informado oficialmente, mas as vítimas podem ter direito a indenizações. Você pode encontrar mais informações sobre recalls de pistolas de pregos aqui.

Pregos que viram projéteis: ricocheteiam e erram o alvo

Pregos que voaram pelo ambiente representaram 41% de todos os ferimentos causados por pistolas e estudados pelos pesquisadores da UNC. Na maioria desses acidentes, os pregos erraram o alvo completamente ou então ricochetearam.

Os erros foram, em geral, causados por um alinhamento inadequado porque os trabalhadores não observaram o posicionamento de forma apropriada. Esses acidentes podem ser resultado de negligência, e os trabalhadores feridos dessa maneira devem contatar imediatamente um experiente advogado especializado em ferimentos pessoais.

Os pregos podem ricochetear de forma perigosa por diversas razões. Em 4% dos ferimentos, os pregos bateram em partes muito duras do material. Outros casos envolveram disparo duplo, quando o segundo prego disparado involuntariamente bateu na cabeça do primeiro.

Posições difíceis

Acidentes com pistolas ocorrem mais comumente com carpinteiros residenciais, em especial durante a etapa de estrutura e revestimento (nos EUA, framing e sheathing) da construção de uma obra.  Não é difícil entender o porquê: as pistolas de pregos para estruturas (nos EUA, framing nail guns) são mais poderosas que outros tipos e o trabalho com estruturas precisa de mais pregos que a maioria das outras tarefas.

Mas a etapa de estruturas também requer que os trabalhadores fiquem em posições difíceis, utilizando as pistolas em cantos e em ângulos estranhos. Aqueles que trabalham nessa etapa precisam de cuidados adicionais quando utilizam a pistola:

  • Por cima das próprias mãos
  • Em uma área utilizando o pé como apoio
  • Em espaços apertados
  • Em escadas

O papel da negligência em ferimentos causados por pistolas de pregos

A maioria dos locais de trabalho está abarrotada de gente. Arquitetos, engenheiros e inúmeros trabalhadores – todos estão tentando finalizar o projeto pontualmente e algumas tarefas são feitas de forma mais apressada que outras. Mas quando os prazos finais se aproximam e atalhos são utilizados, a segurança pode ficar em segundo plano. A negligência ocorre quando baixamos a guarda e não executamos tarefas potencialmente perigosas com os devidos cuidados. Infelizmente, a negligência pode levar a ferimentos graves, em especial quando as pistolas estão envolvidas.

Embora as leis de indenização a trabalhadores impedem que eles processem diretamente os empregadores, muitos ferimentos causados por pistolas ocorrem devido a negligência de empreiteiras e subcontratantes. As vítimas dos acidentes podem ter direito a indenizações se entrarem com uma ação judicial devido a ferimentos pessoais (nos EUA, personal injury lawsuit).

Entre em contato com um advogado especializado em acidentes com pistolas de pregos

Você foi ferido em um acidente com pistolas de pregos? Você sofreu danos por causa de um trabalhador negligente ou de uma pistola defeituosa?

Uma ação judicial devido a ferimentos pessoais talvez permita que você solicite indenização por causa de gastos médicos e salários não recebidos, além de danos morais devido a dor e sofrimento. Os advogados especializados em ferimentos pessoais da Banville Law podem te ajudar. Nosso foco é na sua completa recuperação; mas, além disso, queremos garantir seu futuro bem-estar.

Entre em contato hoje mesmo com nossos advogados especializados em ferimentos causados por pistolas de pregos para obter uma análise gratuita. Analisaremos o seu caso e forneceremos uma orientação, com base na nossa experiência, sobre o melhor caminho a seguir. Não hesite em nos contatar – nós cobramos apenas uma porcentagem da causa pelos nossos serviços jurídicos. Você não paga até que ganhemos a sua ação. Ligue no telefone 917-765-7480.